10 Comments

  1. O melhor de todos, Gus. Na minha opinião.

  2. é…. as vezes as pessoas acabam esquecendo o que importa de verdade…. mas, de certa forma não creio que a culpa seja inteiramente delas, não singularmente. A sociedade valoriza o que voce têm não o que é. Então gaste seu dinheiro com moda, faça pose, adiquira status, do contrário ficará à margem e o preço a ser pago é a solidão. Entretanto a loucura disto tudo é que este ser que buscamos ser a todo momento, este ser que goza dos bons olhos da sociedade não nos sustenta nas nossas questões essenciais.

  3. Interessante. No final das contas, somos só uma parte minúscula de um ciclo infinito. Muito bom.

  4. Já pensou tirar tudo isso das costas… e viver… feliz… vou lá soltar pipa.

  5. Sério mesmo…
    Eu sou de uma área completamente fora do contexto da arte…
    Trabalho com exatas, estudo exatas, respiro exatas…
    Mas sempre digo que a inteligência não ronda só os nossos números…
    E tá aí a prova…
    To achando genial cada história sua…
    Um amigo meu vai tentar mostrar suas obras aqui na UFES…
    Se bobear, acabam te convidando pra dar uma passada por aqui…
    Um abraço e continue nos surpreendendo.

  6. valeu, irmão!
    grato mesmo pelo trabalho!

  7. O final foi libertador, não só pro senhor, mas pra quem lê o quadrinho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *